Gestão do Absenteísmo: como ter melhores resultados pensando nisso

By 11 de abril de 2018Saúde ocupacional
Gestão do Absenteísmo: como ter melhores resultados pensando nisso

É muito comum que no seu dia-a-dia o gestor de RH enfrente os seguintes desafios: colaboradores ausentes, doentes, atrasados, afastados, ou seja, que ele enfrente o absenteísmo e suas consequências. Diante de um problema tão sério e tão recorrente dentro da realidade corporativa o gestor necessita de soluções práticas para lidar de maneira efetiva com o absenteísmo e de fato colher resultados.

No blog post de hoje falaremos sobre isso. Daremos dicas e mostraremos opções de ferramentas, medidas preventivas, dados e métricas que podem e devem ser adotados para gerir bem o excesso de faltas. Confira.

Primeiramente, o que é gestão de absenteísmo?

O absenteísmo é um termo usado para designar: ausência dos colaboradores no trabalho, por falta ou atraso. Como os gestores já sabem, o absenteísmo impacta diretamente a produtividade e é um dos maiores responsáveis por elevação dos custos na área de gestão de pessoas.

A gestão de absenteísmo é uma prática que visa minimizar o excesso de faltas, atrasos e outros problemas que envolvam a ausência de um colaborador e suas consequências.

Como fazer essa gestão?

Para uma boa gestão é preciso seguir algumas etapas:

1 – Avaliação inicial

É muito importante diagnosticar os principais motivos que levam os colaboradores a se ausentar (ou mesmo a atrasar para iniciar o trabalho). Além disso, é essencial compreender qual é o índice de absenteísmo e qual o impacto financeiro e de produtividade.

É muito importante diagnosticar os principais motivos que levam os colaboradores a se ausentar (ou mesmo a atrasar para iniciar o trabalho). Além disso, é essencial compreender qual é o índice de absenteísmo e qual o impacto financeiro e de produtividade.

  • Problemas de saúde: gripe, estresse, LER e etc
  • Desalinhamento com a proposta e com os objetivos da empresa;
  • Clima organizacional desfavorável;
  • Líderes arbitrários;
  • Cansaço;
  • Excesso de cobrança;
  • Acúmulos de tarefas;
  • Desentendimento com colegas de trabalho;
  • Falta de infraestrutura e de equipamentos;
  • Insatisfação com salários;
  • Falta de benefícios como: planos de saúde, programas de qualidade de vida, vale alimentação etc.;
  • Falta de plano de carreira;
  • Cobranças excessivas.

2 – Gestão dos afastamentos

A gestão dos afastamentos também faz parte da dinâmica da gestão de absenteísmo. É importante compreender os motivos que mais afastam efetivamente os trabalhadores para atuar em cima de cada principal causa, evitando que novos afastamentos.

3. Gestão de Acidentes de trabalho

Os acidentes de trabalho também fazem parte dos motivos que levam a faltas e afastamentos. Portanto, uma gestão dos acidentes também faz parte da gestão de absenteísmo.

Você gestor, precisa estar consciente desse cenário, para implementar soluções em saúde ocupacional que reduzam os acidentes de trabalho (a RH Health pode te ajudar nisso, conheça aqui) e consequentemente reduzam também o índice de afastamentos e os custos decorrentes.

Ferramentas, medidas preventivas, dados e métricas para a gestão do absenteísmo

Para lhe ajudar a fazer uma análise bem feita é importante que você colete dados:

  • Da operadora de saúde, para serem utilizados como indicadores de riscos;
  • O sistema de folha ou carga mensal para identificar os impactos na lucratividade
  • Dados das causas de adoecimento mundial, o que permite planejar ações de prevenção de saúde e qualidade de vida direcionadas e individualizadas conforme os colaboradores da sua empresa;

Além disso, você deve fazer um cruzamento dos seguintes indicadores de saúde:

  • Fatores de risco identificados com base no protocolo de atendimento;
  • Medicação em uso;
  • CID dos atestados e sinistralidade do plano de saúde: para identificar se algum problema que acontece com um colaborador é um caso isolado ou algo que acomete parte dos funcionários. Isso vai lhe ajudar a aumentar a assertividade das ações de saúde ocupacional
  • Avaliar a emissão de atestados médicos;
  • Cruzar dados sobre endereços: residencial, da unidade de lotação e do local de atendimento médico com o objetivo de identificar situações que merecem ser investigadas;

Com esses dados levantados, você gestor, poderá identificar o Nexo Causal (NTEP), adotar uma tomada de decisão precoce e assertiva para gerir bem o absenteísmo e colher resultados como diminuição dos impactos financeiros e aumentos de produtividade.

Para tornar a sua gestão mais eficiente e mais dinâmica utilize a tecnologia a seu favor. A RH Health possui soluções de ponta específicas para a gestão do absenteísmo e de outros fatores importantes em saúde ocupacional. Fale agora com um dos nossos consultores.