O QUE É PAIR?

By 28 de novembro de 2016Slider

O termo ruído é usado para descrever sons indesejáveis ou desagradáveis. Quando o ruído é intenso e a exposição a ele é continuada, em média 85 decibéis (dB) por oito horas por dia, ocorrem alterações estruturais na orelha interna que determinam a ocorrência da Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR). A PAIR é o agravo mais frequente à saúde dos trabalhadores de diferentes ramos de atividades, principalmente siderurgia, metalurgia, gráfica, têxteis, papel e papelão, vidraria, entre outros.

A maior característica da PAIR é a degeneração das células ciliadas do órgão de Corti. Recentemente tem sido demonstrado o desencadeamento de lesões e de apoptose celular em decorrência da oxidação provocada pela presença de radicais livres formados pelo excesso de estimulação sonora ou pela exposição a determinados agentes químicos. São considerados sinais dos efeitos auditivos:

  • – Ser sempre neurossensorial, uma vez que a lesão é no órgão de Corti da orelha interna;
  • – Ser geralmente bilateral, com padrões similares. Em algumas situações, observam-se diferenças entre os graus de perda das orelhas;
  • – Geralmente, não produzir perda maior que 40dB(NA) nas frequências baixas e 75dB(NA) nas altas;
  • – A sua progressão cessa com o fim da exposição ao ruído intenso;
  • – A presença de PAIR não torna a orelha mais sensível ao ruído; à medida que aumenta o limiar, a progressão da perda se dá de forma mais lenta;
  • – A perda tem seu início e predomínio nas frequências de 3, 4 ou 6 kHz, progredindo, posteriormente, para 8, 2, 1, 0,5 e 0,25 kHz;
  • – Em condições estáveis de exposição, as perdas em 3, 4 ou 6 kHz geralmente atingirão um nível máximo em cerca de 10 a 15 anos;
  • – O trabalhador portador de PAIR pode desenvolver intolerância a sons intensos, queixar-se de zumbido e de diminuição de inteligibilidade da fala, com prejuízo da comunicação oral.

A principal ação no combate ao agravo e ao desencadeamento da PAIR é a prevenção. Essa prevenção é feita principalmente pela melhoria dos ambientes de trabalho, com a eliminação ou o controle rigoroso dos riscos existentes. Paralelamente devem ser implantadas medidas de proteção individual, que nada mais são que paliativos de protetores auditivos até que as medidas ambientais sejam implantadas.

O Programa de Conservação Auditiva (PCA) é um conjunto de ações coordenadas que tem por objetivo prevenir ou estabilizar as perdas auditivas ocupacionais. Por se tratar de um conjunto de ações coordenadas, o PCA é um processo continuo e dinâmico de implantação de rotinas nas empresas cujos processos geram o aparecimento de ruídos.

Quando existirem riscos para a audição nos processos produtivos, há necessidade de se buscar redução ou eliminação desses riscos. A identificação, análise e apresentação de dados que favoreçam ações preventivas envolvem a participação de profissionais da área da saúde (Médico do Trabalho, Fonoaudiólogos, Auxiliar de Enfermagem), os diretores da empresa, Engenheiros e Técnicos em Segurança do Trabalho, Recursos Humanos e funcionários de todas as áreas.